domingo, 31 de outubro de 2010

Biscoitos de claras e côco

Aqui não me parece que exista "Pão por Deus" mas mesmo assim cá fica uma receita de biscoitos para comemorar o dia.

4 claras
200 gr de côco ralado
200 gr de açúcar
2 colheres de sopa bem cheias de farinha

Bater as claras em castelo bem firme, juntar o açúcar e voltar a bater, juntar o coco e bater novamente; no final juntar a farinha e bater bem.

Colocar pequenas colheradas da massa em tabuleiro forrado a papel vegetal e vai ao forno a 180.ºC

;)

Meses

... paginas do meu caderno de linhas....

15 meses

Os gemeos completam hoje 15 meses... primeiro foram os dias na incubadora... e o medo inerente a isso, depois o berçario e alegria de os levar a ambos para casa no mesmo dia...

Tenho saudades deles pequeninos, mas estou louca para os ver maiores ainda. É certo que já andam, correm, sobem para o sofá e trepam pela cama para sair dela, mas quero vê-los a falar :)))

Sim, quero que eles cresçam, mas adoro ver as descobertas de cada dia, de os ver a deixarem de ser bebés, a começarem a ser meninos (um da mamã e outro do papá).

Há 15 meses a esta hora já tinham nascido mas eu ainda não lhes tinha pegado nem tão pouco dado um beijo.

O Afonso nasceu muito branco e levaram-no de imediato, nem sequer a pinça colocaram no umbigo ali ao pé de mim...
Não chorou muito e mal o embrulharam numa manta amarela sossegou.
Eu conseguia ouvir os pediatras mas não via o pequenino Afonso... só via a incubadora e a manta amarela...

4 minutos depois nasceu o Martim, a resmungar porque não tinha nascido em primeiro... tinha um hematoma na testa, estava zangado, mas era lindo!

Enquanto as duas médicas me cosiam (devem ter gasto 20 metros de linha pelo tempo que demoraram) eu conseguia ver duas mantinhas na incubadora, a amarela e azul onde tinham embrulhado o Martim.

Supliquei que elas se despachassem; queria ver os meus filhos antes que os levassem para a neonatologia... e a certa altura uma enfermeira agarrou na minha manta amarela e levou-a para outra sala...
Quando regressou trazia uma manta azul bebé...confesso que estavam a colocar-me as pulseiras de identificação e eu estava com medo que tivessem trocado o meu bebé (eram as hormonas alteradas)...

Ainda cosiam e davam pontos e pontinhos quando os trouxeram...

Colocaram-me o Afonso no braço esquerdo e disseram-me: "este é o primeiro"; olhei para dentro da manta e mal se via um "nuninho" lá dentro de tão pequenino que era...

No braço direito colocaram o Martim e disseram: "e este é o segundo"; estava a dormir tão tranquilo...

Mal terminou a frase: "Este é o primeiro e este é o segundo" levaram os meus meninos para a incubadora e eu chorei... porque uma vez mais estava a passar pela dor de não poder manter os meus bebés perto de mim.

Sete anos antes também o Joao tinha sido levado para o berçario e eu fiquei sozinha...

O meu marido mantém a vontade de ter uma menina... queria ter a certeza de não ter de passar por tudo aquilo de novo...

Queria saber como é ter um filho e ficar com ele, poder dar-lhe colo e mimo a vontade; receber visitas na maternidade e três dias depois voltar a casa com a minha familia mais rica.

Talvez um dia tenha uma Laura e assim acontaça, ou um Lourenço e passe por tudo isto de novo; ou talvez não tenha mais filhos e fique sem saber como seria...

16 meses

Completam hoje 16 meses os fedelhos; parece que o tempo voa e eles crescem com o vento...

O Afonso passou a frente do Martim em traquinice e apesar de ainda não se expressar por palavras já consegue explicar o que quer apontando e acenando com a cabeça dizendo que não...

O Martim continua a ser um menino muito activo que adora brincar as escondidas ou à a apanhada...

Ainda são tão pequeninos e já é assim... imagino quando crescerem

17 meses

Olho para tras e o tempo de facto passou rapido.

Os gemeos estao grandes e muito traquinas; adoram brincar com o mano mais velho e saltam para o colo do pai.

Tenho a minha familia reunida e isso faz de mim uma pessoa MUITO feliz.

Carpe Diem!

Agora é continuar

É oficial; estou a começar um negócio de bolinhos em Moçambique.

Aé agora tudo não passava de uma brincadeira, mas desde a ultima semana que as coisas mudaram e cresceram.

Estou a fazer sobremesas de colher para um restaurante (doce de natas, mousse de côco e manga); cupcakes e bolos de aniversario para uma pastelaria.

Ainda ontem fiz cupcakes de chocolate e de coco, um pão de ló e uma mousse de manga... o tempo não sobra, mas estou contente por conseguir ganhar a experiencia que me falta.

O meu sonho mantem-se: queria muito ter um espaço de turismo rural... quem sabe?

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Mais bolinhos

Aos poucos vou criando mais clientes e vai-se espalhando a palavra... começam a aparecer as encomendas para os meus doces.

Hoje tenho uma reunião com outro espaço para vender os meus bolos (já faço sobremesas para um restaurante aqui ao lado) e agora vou testar a venda de bolos de aniversario... quem sabe a moda pega?

Obrigado a todos os que me têm ajudado em especial ao meu marido que para além de melhor maridinho do mundo é um excelente amigo que me empurra sempre para lutar pelos meus sonhos e objectivos.

Falta pouco para as ferias na neve amor :D

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Bolachinhas da sorte

Estou a idealizar uma bolachas da sorte (que tenham uma frase gira escondida) e deixo-vos um pedido... dêem ideias para as frases...

:p

sábado, 23 de outubro de 2010

Saudades

São portuguesas as saudades... só nós entendemos e sabemos dar nome a este sentimento de perda, a este estar longe de quem nos é tão querido.

Claro que também podemos sentir saudades das coisas que perdemos, mas o que custa mesmo é lidar com a falta da familia.

Felizmente, conseguimos usar as novas (ainda lhes podemos chamar novas????) tecnologias e falar com a familia usando audio e video, mas não sabe ao mesmo.

Amanha sendo domingo sabia bem ir almoçar a casa dos meus pais e estar com eles, com as minhas irmãs e cunhados e com os meus sobrinhos queridos... sabia bem ver os meninos a brincar com os primos, e a crescer pertinho de todos...

... mas a vida trouxe-nos até aqui e mesmo com saudades continuo a gostar de estar em Moçambique.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Bolo de aniversário... azul

Para o aniversario do marido a senhora pediu-me um bolo azul.

Quando chegou para vir buscar o bolo disse-me: "Está optimo... dá vontade de fazer anos duas vezes por ano"



A primeira encomenda :))))

Eis que o telefone toca a primeira vez com uma senhora que quer um bolo de aniversário e um doce :)))


Cá está ele: o primeiro bolo de aniversário feito para vender... pronto para ser entregue... e eu ansiosa para saber a reacção da senhora...



A senhora gostou muito do bolo e do doce e depois de provar ligou-me a dizer que estava muito bom... (estou a babar-me)

Quando o sangue gela...

Se eu desse uma moeda a todos quantos e quantas vezes me pedem chegava ao fim do mês a pedir moedinhas também!

Pedem os idosos, os mais novos e todos... por terem feito algo, para não fazerem....

Chamem-me o que acharem por bem, mas, por regra eu não dou.

As vezes, quando me apetece dou, mas é quando eu quero e não por me pressionarem!

Hoje fui ao pão e uns miudos, dois, mais pequenos que o Joao abordaram-me a uns 5 metros da padaria.

Para variar pediram-me 1 milhão (1 milhão é um metecal ou seja para ai uns 2 centimos) para irem comprar pão porque tinham fome... e eu disse-lhes que não dava.

Comprei o pão que queria e dois a mais. Quando sai da padaria não os vi, mas em segundos apareceu um e depois o outro.

Ficaram com um ar de felicidade a comer o pão... e a mim gelou-me o sangue só de imaginar um dos meus filhos a passar fome...

3 de Setembro

Aqui em Nampula não se sentem os efeitos dos conflitos de Maputo.

O pão aumentou no dia 1, tal como a electricidade e a esses aumentos a população respondeu com violência e confrontos.

Aqui, pelo menos para já, está tudo calmo.

Os meus dias são passados a fazer bolachas, cupcakes e a tratar dos meninos, da casa e do marido (como dizem por cá).

Desde que comecei esta aventura dos doces que todos os dias faço pelo menos uma venda. Ainda são poucos os clientes mas acho que está a começar muito bem a minha "biscoiteria".

Biscoiteira, moi?




Sim!
Vendi hoje as minhas primeiras bolachas e estou com montes de ideias para fazer mais e diferentes.
Isto de ser mãe, dona de casa e ainda ganhar uns trocos é para mim uma satisfação... sim porque estou a adorar fazer as bolachinhas e cupcakes...
Sempre sonhei em ter um espaço dedicado a turismo rural, com doces e comidinha caseira.. e acho que estou a começar aqui a testar o sonho...

Há-de vir...

Aqui impera o "há-de vir" o "hei-de fazer" e quando estamos com horas contadas nem sempre se lida bem com esta maneira de viver

Tudo se "há-de fazer", só não se sabe quem o fará ou quando... rsrrsrsrs

Obstáculos

Não me lembro de nada fácil na minha vida... só não sei se é da vida ou de mim...

O sr que eu achei que iria vender as minhas bolachas acabou por me dizer que não o iria fazer pois não havia mercado para isso.

Confesso que fiquei triste naquele segundo; mas peguei nas bolachas e fui dá-las a provar ás lojas onde já conheço as pessoas.

Resultado?

Tenho já encomendas para a semana... e aquele obstáculo do "não se vende" está ultrapassado e cá estou eu a começar a minha vida de "biscoiteira". :p

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Bolachas

Comecei a pensar em fazer algo mais do que tratar de meninos.

Resolvi começar a vender bolachinhas e cupcakes.

Vou fazer bem as contas ao investimento, calcular tudo e ver no que no dá.

Já arranjei um sr para vender as minhas bolachinhas. Agora é mau na massa!!!

Cá estão as primeiras embalagens do meu negócio... agora é esperar para ver como corre!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Livros




Quantas vezes já contribuimos com livros escolares antigos para ajudar os meninos de Africa?
Ficamos com uma prateleira ou uma caixa vazia e com o coração cheio por ter ajudado alguém...

Eu própria já contribui com livros para essas causas e confesso que imaginava uma escola onde cada aluno teria um livro diferente... não imaginava era onde poderia encontrar estes manuais escolares...

Ao caminhar na rua há imensos livros à venda, dispostos sobre um cartão ou sobre um qualquer pano, ou oleado (que é como quem diz plastico).

Há livros de matemática, geografia e tantos outros temas e matérias.

São vendidos os manuais que nós com tão boa vontade oferecemos aos meninos de Africa... e esses meninos continuam a viver no meio do mato, sem roupa, sem calçado, numa palhota sem agua ou electricidade, sem brinquedos e sem livros.

Vivem assim... e não sentem falta de mais porque não conhecem mais nada.

A nossa boa acção não deve perder a sua importancia, mas o facto é que a maioria dos livros não chegam ao destino que se pretendia.

O Sr vende os livros, ganha dinheiro e alimenta os filhos... afinal, pensando bem, o meu livro anotado de História acaba mesmo por ajudar um menino em Africa... só não o ajudará a estudar, mas a sobreviver a mais um dia.

Home again

Era bom, mas acabou-se!!!

Acabou-se o calor (hoje está fresquinho e a chover), acabou-se a praia e a "boaviding".

De regresso a casa há que retomar as tarefas domésticas.

A viagem de regresso fez-se bem com os bébés a dormir todo o caminho.

Comprei uma esteira em palha entrelaçada... é uma obra de arte feita numa aldeola perdida no caminho. Fica bem gira na nossa sala :)

A sra pediu-nos 120 meticais por ela... se fosse comprada aqui na cidade iriam pedir-nos o triplo!

Hoje de manhã dei uma volta pela cidade e descobri umas lojas com roupa engraçada... e aqui dá gosto experimentar roupa. Aí visto o 36, aqui visto a 32... o tamanho é o mesmo mas a parte psicológica também conta! :D

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Garrafas, garrafinhas e coisas... a foto :P


E assim se ganha a vida....

Bicharada

Ora, para a Joaninha que adora animais cá vai uma mostra de amigos que vimos em Pemba (sendo que os há por todo o lado).

Como gostaste tanto dos morcegos :P cá estão umas osgas (o cenário é a parede de um restaurante à beira mar onde comi caril de marisco que estava o maximo...); estavam junto ao candeeiro a comer os insectos que iam correndo para a luz :)


Mas não te apaixones já: também tinhamos uns lagartos a apanhar banhos de sol , alguns nas passadeiras de madeira junto a casa...

... e outros muito coloridos mesmo junto a casa...


Já para não falar em melgas, mosquitos, borboletas gigantes... e camarões no prato... e lagosta... enfim... montes de bicharada :P

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

5 da manha

Foto tirada de dentro de casa as 5 da manha em Pemba... os pescadores estavam a ir para o mar e o sol a nascer...


Pemba

A viagem até cá é longa, com uma paisagem muito forte.

É a savana, cheia de árvores enormes e lindas... com aldeolas no meio do nada, com uma multidão que caminha na estrada...muito eu gostava de perceber para onde vão...



Pelo caminho vêem-se vários fogos, mas como a vegetação é rasteira são todos pequenos... talvez os maiores tenham uma frente de 10 metros... como fizemos uma boa parte do caminho de noite avistam-se inumeros fogos no horizonte...

As pessoas acendem fogueiras para cozinhar e depois deixam arder.

Faz confusão ver a calma deles com o fogo aí bem junto das palhotas... eu não estava assim tão descansada... :D

Arde porque não há bombeiros para apagar.

Arde porque assim se faz carvão para vender na cidade.

Acredito que a Natureza se sinta afectada com os fogos mas a verdade é que recupera muito depressa aqui e onde renasce parece que o faz com mais força ainda :)
Animais?

Bom, vimos dois porcos pretos, dezenas de galinhas e uns cabritos... nada de leoes ou girafas para grande pena do Joao.

Chegamos ao Hotel já era noite escura, dava apenas para ouvir as ondas. A palhota onde ficamos fica a uns 10 metros da praia, de uma praia com uma areia muito branca e fininha... e com um mar calmo, azul e fabuloso lá ao fundo...


Foi nesta casinha que passamos uns belos dias à beira-mar... bem bom!

Na nossa casa temos sempre um bicho... quando fomos para o Algarve de férias tinhamos uma osga enorme e gorda na varanda...

Na casa em Nampula temos uns passarinhos como vizinhos na varanda... com ninho e três filhotes a aprender agora a voar... já agora apresento-vos os nossos passarinhos, simpaticos, não acham??


Em Pemba?

Temos morcegos no alpendre durante a noite... são grandes e piam quando tudo está calmo... ficam ali desde as 19h até de madrugada bem cedo...


Mesmo estando perto do mar não o temos aproveitado... ou melhor, só o João é que tem ido à agua.

O Afonso chora com medo da àgua e da areia e sozinha com eles não dá para fazer melhor do que isto: apanhar um sol e ver o mar ali tão pertinho :)

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Buzios


O maridinho foi de viagem mas trouxe presentes...

Adorei os meus novos colares feitos de pedras e buzios... deve dar um trabalhão fazer isto, mas são bem giros:)

Madrugada...

Não conheço em detalhe a religião, mas aqui abundam os muçulmanos.

(Confesso que às vezes me apetece chamá-los de mouros e correr com eles à paulada... mas isso nada tem a ver com a cor ou religião)

Como os meus pequenitos continuam a comer durante a noite (depois de jantarem, de jantarem segunda vez no colo do pai e do leitinho antes de ir para a cama) dei-me conta de alguns aspectos desta religião.

Às 4h30 da manhã (quase quase a nascer o sol) ouvem-se as primeiras orações do dia... não sei se com sistema de colunas ou altifalantes... ou talvez seja o silêncio da madrugada que traga estes sons...

São, talvez, cânticos... fazem-me lembrar as Laudes em Semana Santa...

Mesmo sendo ignorantes quanto à sua religião (pois não sabem porque não podem comer carne de porco ou o que é o Ramadão), uma coisa é certa: lá vão rezando e cumprindo os seus preceitos.

Às vezes penso como seria fácil incutir hábitos de limpeza e higiene; bastaria dizer que deixar o lixo por toda a parte é pecado!!!

Bom, mas o que conta é que gosto daqueles cânticos e quando os ouço rezo também; sendo que preferia que os meninos voltassem a dormir a noite toda :)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Farmácia

Infelizmente já tive de correr para o médico com os meninos desde que chegamos e claro que tivemos de ir à farmácia.

Tenho uma mesmo em frente à porta do prédio e hoje num passeio à descoberta da cidade encontrei outra numa rua bem perto daqui.

Foi na farmácia aqui em frente que senti pela primeira vez, desde que aqui cheguei, o peso da cor da minha pele.

A primeira vez que o senti, foi há muitos anos nas "Docas" onde alguém se referiu a mim como: "essa branca aí". Nessa altura aquela expressão chocou-me por várias razões: para já nunca me tinham chamado "branca" e o "essa aí" deixou-me furiosa!

Descobri em Africa que "essa aí" não é uma maneira de desrespeitar ninguém, mas tão só a forma que eles usam para se referir a outra pessoa, ou seja, anos mais tarde percebo que apenas se referiram à cor da minha pele sem qualquer outro sentido.

Não voltei a sentir essa diferenciação até ao momento em que entrei na farmácia aqui em frente.

Desta vez não senti que fosse "mau" ser branca.

Aos naturais de cá o sr que estava a atender pediu o dinheiro antes de aviar a receita; a mim, não me pediu dinheiro antes, pelo contrario, até me atendeu antes de ser a minha vez (juntando o meu pedido à receita de um senhor que teve de pagar 167 metecais antes de receber os medicamentos). Para facilitar o troco fiquei a dever 5 metecais (que mandei a empregada vlevar mais tarde).

A cor da minha pele (ainda que morena) aqui vale dinheiro (ainda acordo um dia destes e descubro que o meu marido me vendeu por meia duzia de camelos lolol).

Bom, mas as farmácias são diferentes daí. São prateleiras quase vazias e gavetas cheias de comprimidos para vender a unidade.

A farmácia que descobri hoje, podia ser na vossa rua: é bonita, tem montras grandes (e sem grades), rampa de acesso... e 4 latas de leite na prateleira, 2 pacotes de fraldas, um shampoo de bebe de uma marca desconhecida, um mobil, umas rocas e uma balança onde a troco de uma moeda se pode pesar o bebe.
Isto resume a totalidade da area dedicada aos bebes (cerca de 1/3 da farmacia).

Bastante simpáticos os srs que lá estavam, mas não é com simpatia que se curam doenças e medicamentos é coisa que não abunda nas prateleiras das farmácias de Nampula!

M. N. A. P.

O M. N. A. P é o Movimento Nacional de Arrastar os Pés!!!

Perdoem-me todos os moçambicanos que não aderem a este movimento mas é que faz impressão!

Não é normal este andar vagaroso e com os pés presos no chão... e assim vivem... com um chinelo enfiado no dedo (os que o têm) e neste ritmo que adormece (ou no meu caso enerva).

Não sou melhor que ninguém (sou até pior que muitos, diga-se em nome da verdade), mas se eu num dia lavo a roupa (à mão, claro está), limpo a casa, faço almoço e jantar, trato dos tres meninos, passo a ferro e ainda vou a rua beber café... como é possivel que a minha empregada não tenha tempo de lavar a roupa e passa-la a ferro?

Como? Faz parte do dito movimento e todas as peças de roupa lhe morrem nas mãos... ah é verdade... consegui ressuscitar algumas dessas peças nestes dias em que ela esteve doente... afinal eu tinha razaão e as nódoas saiam... lol

Piquenique

É um misto de emoções: estou triste por não estar convosco nesse piquenique familiar, mas muito feliz por o terem feito.

Espero que hajam mais para poder partilhar a vossa presença.

Ah... e tratem de me mandar fotos que haja. Momentos destes devem ser vividos em pleno.

Obrigado pelo piquenique e no proximo contem connosco!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

14 de Agosto


É muito bom ver a amizade entre os três. Rezo para que ela dure para sempre.
Enquanto o Afonso dorme, o João dá colo ao Martim para verem os desenhos animados juntos... lindo!
Este fim-de-semana estamos sem o papá que viajou em trabalho.
Acho que quem sentiu mais a falta foi o nosso Benjamim... sentiu a falta do pai a adormeçê-lo ontem à noite, sentiu a falta do pai de madrugada como almofada (porque ele vai dormir para cima do pai, quase todas as noites).
Depois de 6 meses separados houve um período de adaptação mas neste momento já está ultrapassado.
É ao colo do pai que o Martim está bem; voltou a ser o menino do papá!
Ciúmes? Nada disso... ainda sobram dois para mim :)))

Cortinados

Acabei!

Passei dois dias a coser, mas já estão prontos os cortinados da sala. Não os fiz de raiz, apenas cortei ao meio para ter luz na sala, mas ainda assim passei umas horas a espetar o cu da agulha no dedo... devia era ter trazido a minha agulha e linhas de ponto cruz...

Próximo passo será fazer os cortinados do quarto do Joao :D

Tenho de ocupar o tempo que me resta depois de arrumar a casa e tratar dos pequenos... e as refeições e umas sobremesas (hoje fiz a receita do bolo de canela, mas alterei para cacau e ficou optimo)!

Quanto aos meninos: o Afonso está totalmente recuperado e já voltou a dar uns passinhos sozinho. O Martim já corre e salta (é um verdadeiro traquinas) e o João continua a supreender-me com os seus desenhos... será que vai ser cartoonista?

Telemovel

Tive o mesmo telemovel durante 6 anos; sobreviveu a uma ida a lareira acesa (mandado pelo João ainda bébe) e a outras milhentas coisas tal como quedas e outros acidentes de percurso. Antes de vir para Moçambique o pobre morreu.

No espaço de dois meses já consegui estragar dois telemoveis (ou melhor, desde que os bebes começaram a mexer-lhe para fazer "tá lá"...)

Resultado: sem net e sem telefone estou cada vez mais confinada ao meu caderno de linhas.

Hoje, não vou poder sair para procurar os cortinados do quarto do menino como queria... está a chover... e assim, ficaremos em casa a ver desenhos animados todo o dia...

domingo, 10 de outubro de 2010

Bolo de Canela

Que bem que cheira a canela, a bolo de canela, acabadinho de sair do forno.

Como não tenho batedeira, ainda, experimentei uma receita usando os ovos inteiros; como não há fermento, ficou pequeno.. mas que cheira bem, isso cheira...


E sabe bem também! Hummm... já sei, querem a receita, certo?


100 gr de farinha
4 ovos
150 gr de açúcar
125 gr de manteiga amolecida
1 colher de sopa de canela
1 colher de sobremesa de fermento em pó
Ligar o forno a 150º graus e untar a forma com manteiga.
Bater a manteiga amolecida com o açúcar até obter um creme liso, juntar os ovos um a um, batendo sempre.
Juntar a canela e por fim a farinha com o fermento.
Vai ao forno por 1 hora.
Experimentem! É optimo!!

Parabéns meu amor


Hoje o meu maridão faz anos... bem que ele gostava de voltar a reunir a familia toda e fazer uma festarola em grande, eu sei...


Muitos beijinhos apaixonados para ti meu amor.

sábado, 9 de outubro de 2010

De quando ainda era bebe...

Era uma vez um rapazinho que gostava de descer o degrau :)

Já passaram uns meses e já se nota a diferença! Estão a crescer depressa os meus traquinas!

video

Garrafas, garrafinhas e coisas...

Todos os dias há uma garrafa ou uma lata que deitamos no lixo, verdade?

Agora imaginem que não lavam essa embalagem e não a colocam num vidrão, ou outro qualquer contentor do lixo.

Imaginem, isso sim, ir para a rua com as ditas embalagens, colocá-las no passeio e... vendê-las... garrafas com tampa, sem tampa, latas de leite em pó, latas de conservas e tudo o que exista.

Prometo que mostro fotos entretanto deste belo negócio!

:)

Mais umas páginas do meu caderno...

10 de Agosto

Hoje é dia de festa... pena é não estar por perto para comer uma fatia de bolo... ainda assim:

Para a minha irmã Carla muitos beijinhos. Votos de muita saúde, alegrias e já agora muitas prendas!! :D

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Bolas





No outro dia fui em busca de um edredon para a minha cama. (Esta casa é bem mais fresca do que a outra) O que encontrei era horrivel e pequeno, sim porque a cama tem 1,90m de largura (cabemos lá os 5)!

Na loja encontrei uma tenda cheia de bolas... e ao compra-la comprei o descanso :D
É fantástico ver os três a brincar com as bolas, dentro da tenda :D
Bolas, tenho bolas pela casa toda... mas também tenho três meninos felizes e isso é que conta :)

Um telhado

Quando há mudanças sempre há uns caixotes que ficam uns dias a espera que se encontre lugar para o que têm dentro.

Foi o que me aconteceu; fiquei com um caixote da TV com uns sapatos e coisas soltas... agora que o menino melhorou consegui finalmente despejá-lo.

Como não tenho arrecadação optei por me desfazer do dito caixote.

Ao dizer à empregada que o levasse para o lixo ela respondeu-me que o iria levar para casa dela... para pôr no telhado... e eu fiquei aqui a imaginar como será uma casa com telhado de cartão...

Viver em Moçambique está a mostrar-me uma realidade muito diferente daquilo que conhecia.

Aqui sou considerada muito rica, mas eu vou descobrindo que já era muito rica em Portugal quando era pobre e não tinha nada.

Electricidade

Chega o correio com mais uma conta da EDP e lá se apanha mais um susto com a conta... mas aqui isso nunca acontece!!

Primeiro, porque aqui o carteiro não toca duas vezes, nem uma, tão pouco... não existe distribuição de correio.

Depois, porque aqui tudo se compra e paga antes.

No contador de electricidade coloca-se o credito e antes que acabe convém colocar mais... lol




Também o telemóvel se carrega comprando crédito na rua...
Só ainda não sei como se faz o pagamento da agua aqui na cidade, uma vez que aqui já existe abastecimento pela Fipag.
(Soube entretanto que afinal não se paga) lolol

Coincidências

Ainda estava em Portugal quando descobri esta foto de Nampula.

Seria o Centro Comercial do sitio???




Não! É apenas uma loja de artigos de construção civil... mas querem ver a vista da minha varanda?










Ah, pois é... é o destino... a foto que encontrei afinal era algo que iria estar aqui tão pertinho :)))

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Estou de volta :))




9 de Agosto

Mais um dia sem internet mas com muito para partilhar... por isso voltei a um prazer imenso que é escrever num caderno com um lápis de carvão bem afiadinho... sabe mesmo bem!

No dia 1 de Junho cheguei a Moçambique, no dia 1 de Agosto cheguei a casa em Moçambique.

Aqui nesta casa 5X (ou mais) mais pequena sinto-me muito mais confortavel, muito mais em casa.

Temos uma sala de estar e jantar sem degraus e tomadas electricas (o que é um sossego com os bébes), dois quartos, uma cozinha e uma casa de banho... e chega!!!

Também tenho uma varanda que é agradavel, mas sim, aqui sinto-me em casa.

Estou no centro da cidade e hoje já andei a bisbilhotar as lojas... até fiz umas compritas e tudo!!

No dia em que mudamos o Afonso adoeceu e foram uns dias e noites de muita febre. Agora esta recuperado, Graças a Deus, mas esta semana em que esteve doente retrocedeu no andar.
O Martim já anda muito bem, já vai andando atras das bolas mas o Afonsinho ainda não.
Bastará uma semana com saúde para voltar a apanhar o Timzinho na traquinice.

Aqui, nesta casa, pertinho de tudo, sinto-me menos presa. Em frente tenho uma farmácia, pertinho o café e as lojas; os meninos estando bem posso sair e passear, posso ir buscar algo para o jantar ou um litro de leite se estiver em falta...

Sinto-me bem aqui.
A cidade tem os passeios quase todos destrruidos, não entendo porque se passa a estrada em segurança só quando o sinal está vermelho para os peoes, mas a verdade é que estou a gostar disto.
Primeiro estranha-se, depois intranha-se... será?

A casa é pequena demais para o meu mau feitio, por isso optei por pôr a empregada só a tratar da roupa.
Irrita-me ter de explicar como quero as coisas dia após dia, após dia, dia após dia e outra vez.... por isso tenho eu tratado da nossa casa e sabe-me bem fazê-lo. (Quando se nasce pobre dá nisto lolol)

A casa cheira bem e está limpinha como nunca esteve a mansão onde estavamos.
Falta-me tratar dos cortinados para o quarto do menino, mas esta sim, é a nossa casa :D

Net

Voltei hoje a ter net e tenho muito para vos contar e actualizar ;)

Agora tem de ser aos poucos, mas como escrevi em papel durante este tempo, não me vou esquecer de nada :))